Quinta-feira, 6 de Fevereiro de 2014

Miró

A propósito do caso das telas do Miró, de que me havia de lembrar?

Pués… simplesmente dizer… ora mirem usteds estes meus “mirós”:

        

    

 

Perdão, não era isto que eu queria apresentar. (Ainda que não tenha mau aspeto, não senhor…)

Vou fazer nova tentativa:

         

Ora cá está. Chama-se “Desconstrução 1ª” e até tem direito a uma guita para o pendurar. À parte, é fornecido o prego (carne do lombo, com pão cozido em forno de lenha).

Baseado no facto de a Terra ser redonda e de o Voltaren fazer muito bem às dores nos ossos. É uma leitura desconstruida que o autor faz da construção. Uma inovação na maneira de ler a realidade.

 

Em 2º lugar na lista, vem mais esta obra:

 

      

         

 

Também já equipado com a guita, mas sem direito ao prego. Para compensar leva já um pedaço de parede para a fixar. Denominada pelo autor de “Desconstrução-2b-1” é uma obra enigmática, que tem gerado controvérsia. Há quem veja nela o princípio de uma certa ordem no caos e há quem veja nela exatamente o contrário. O autor tinha-lhe chamado inicialmente “Quando as bolas têm olhinhos”, mas tal não fazia sentido, pois elas também estão descontruídas. Ultimamente há quem lhe tenha achado umas semelhanças com a arte Etrusca, mas há quem conteste essa leitura, argumentando que os etruscos não tinham bolas (o que é estranho).

 

Temos ainda mais este

 

           

que aparece nos catálogos como o “Palhaço Desconstruido”, é uma obra aberta que espera por alguém que a feche.

Por manifesta falta de guita para ser pendurado, também espera por uma solução O preto que parece “escorrer” da cabeça do palhaço, tem sido lido (reparem neste “sido lido”) como  significando a vacuidade de tais cabeças. É uma obra considerada como menor, na vasta galeria das obras do autor. Diz quem sabe, que vai bem com carnes de caça, acompanhadas com tinto velho alentejano (velho, o vinho, não o alentejano).

 

Claro que isto não é o catálogo da Christie’s e portanto vou ficar por aqui quanto a miroses. Mas há um acervo considerável deles em “armazém”. Foi só uma amostra.

 

Aos interessados ofereço como brinde um pi-casso (ou mesmo dois, ainda estou a pensar, ou melhor, já pensei, ofereço um, a escolher entre estes dois):

Que vão ser: o 1º

 

            

 

nada mais nada menos que dois bustos de cavalheiros e uma noiva. Críticos duma linha mais moderna têm insinuado uma “ménage a trois”, mas há quem tenha outra leitura. Noivos com padrinho à espanhola… O azul vivo é a ligação entre os três e tem sido alvo de muitas leituras. Que cada qual faça a sua. O autor nunca se pronunciou sobre o assunto.

 

Há ainda este, que será o 2º, conhecido como “Chapéu de palha” – título pelo qual é mais conhecido, sendo que o título original

 

             

 

do pi-casso era…era…era outra coisa, de que já não me consigo lembrar.

 

Esta exposição, com vista à venda das obras, tem duas vantagens sobre aquela de que agora se fala.

1ª vantagem: Não há problemas quanto a eventuais providências cautelares.

2ª vantagem: a retirada do leilão não vai custar nada aos Exmos. Contribuintes, pois a leiloeira não irá pedir nenhuma indemnização, que nestes casos pode ser superior ao valor das obras. Só vantagens, como se vê.

 

Está aberto o leilão, façam as vossas ofertas.

(Ouve-se, nesta altura, a martelada na mesa).

                                            

Nota: mesa e martelo não estão a leilão.

 

Explicações finais e absolutamente necessárias:

1 - A “desconstrução” é um processo criativo inventado pelo autor, que também lhe tem chamado “processo descriativo”. Aplica-o tanto às suas próprias “construções” (leia-se “obras”) como a alheias, que lhe caiam (do verbo caiar?) no campo de ação e que, uma vez desconstruidas, passam a ser de sua autoria.

Este processo funciona como um camartelo, mas um camartelo especial, que vai criando ao mesmo tempo que destrói.

Numa palavra final: é o que está a dar.

2 – O autor tem atestados, passados por quem de direito, de que se encontra em perfeitas condições mentais.

 

Texto escrito conforme o Acordo Ortográfico - convertido pelo Lince.        

publicado por Carapaucarapau às 10:58
link | favorito
De Carlos Gonçalves a 16 de Julho de 2014 às 15:41
caros amigos
Tomei conhecimento de uma entrevista que um falsificador de arte deu a uma revista alemã.
A revista brasileira Veja, também já falou nele (http://www.istoe.com.br/reportagens/195045_O+GRANDE+GOLPE+DAS+ARTES)
O que achei curioso na entrevista, é que a determinada altura, o confesso falsificador, diz que fez umas falsificações do Miró para Portugal (!!!) e chama-nos inclusivé de estupidos (o que não é de admirar)
Deixo-vos o link, para, no caso de acharem bem, divulgarem esta autentica bomba!!!
http://forgedmiro.pen.io/

Bom trabalho


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Dezembro 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
28

29
30
31


.posts recentes

. E vai (mais) um...

. Pó e teias de aranha

. Aleluia!

. Dignidade

. Balanço

. Outros Natais...

. A dúvida

. Promessas...

. Pulítica

. O não post...

.arquivos

. Dezembro 2019

. Novembro 2018

. Dezembro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

blogs SAPO

.subscrever feeds

Em destaque no SAPO Blogs
pub