Quinta-feira, 20 de Março de 2014

Como se faz um post

1- O plágio

Arranca-se de um jornal uma dessas notícias da treta, tosca, parva, estúpida e informe; e depois que se desbastou o que não interessa, agarra-se no computador e, dedos nas teclas, começa-se a formar o post. Primeiro, período a período, depois frase a frase até à palavra por palavra. Adoça-se aqui, apimenta-se ali, arredonda-se acolá, prepara-se o “suspense”, emenda-se isto, substitui-se aquilo, estica-se se estiver curto, corta-se se estiver comprido, até ficar um texto aceitável, talvez até publicável.

 

2- O plagiado

 

O Estatuário (Padre António Vieira)

 

Arranca o estatuário uma pedra dessas montanhas, tosca, bruta, dura, informe; e, depois que desbastou o mais grosso, toma o maço e o cinzel na mão, e começa a formar um homem, - primeiro, membro a membro, e depois feição por feição, até a mais miúda; ondeia-lhe os cabelos, alisa-lhe a testa, rasga-lhe os olhos, afila-lhe o nariz, abre-lhe a boca, avulta-lhe as faces, torneia-lhe o pescoço, estende-lhe os braços, espalma-lhe as mãos, divide-lhe os dedos, lança-lhe os vestidos; aqui desprega, ali arruga, acolá recama; e fica um homem perfeito, e talvez um santo que se pode pôr no altar.

 

3 – A explicação


Um destes dias, acordei com o “Estatuário” na cabeça. Como não uso barrete de dormir, fico com a cabeça livre para nela entrar qualquer coisa. Conheço o texto desde a minha 4ªclasse, pois fazia parte do “Livro de Leitura”. No liceu voltei a encontrá-lo e aprendi a apreciar a precisão de cada um dos verbos que aparecem no texto. Depois de me rebolar duas vezes na cama sem conseguir “sacudir” o Vieira, resolvi que o melhor era fazer um post, “a meias” com ele.

Foi assim que mostrei como se faz um post em “3 tempos”.

 

Texto escrito conforme o Acordo Ortográfico - convertido pelo Lince.        

publicado por Carapaucarapau às 10:12
link | comentar | favorito
10 comentários:
De Labirinto de Emoções a 20 de Março de 2014 às 20:16
Meu queriso Carapau, tu que és peixe lindo, elegante e reluzente, terás certamente ouvido contar através dos teus antepassados O Sermão aos Peixes do Padre António Vieira...e como não plagio ninguem, e como não me apetece ir dar voltas na cama com o Pª Viera na cabeça, levas já com ele...:-)))

".....• . Sermão de Santo António aos Peixe Trabalho de Padre António Vieira
• √Foi pregado em S. Luís de Maranhão, no dia 13 de junho de1654;√Todo o sermão é uma alegoria, porque os peixes são a personificação dos homens;√ Com uma construção literária e argumentativa notável, o sermão louva algumas virtudes humana se, principalmente, censura com severidade os vícios dos colonos;√Este sermão foi pregado três dias antes de Padre António Vieira embarcar ocultamente (a furto) para Portugal, para obter uma legislação justa para os índios;
• . “Com esta última advertência vos despido, ou me despido de vós, meus Peixes. E para que vades consolados do Sermão, que não sei quando ouvireis outro, quero-vos aliviar de uma desconsolação mui antiga, com que todos ficastes desde o tempo em que se Livro da Bíblia, cuja finalidade é regular o culto entre os hebreus.o Levítico” publicou O nome vem-lhe do facto de ter si do a tribo de Levi a escolhida para o serviço litúrgico. O primeiro livro do Levítico pode considerar-se um ritual dos sacrifícios.
• . PERORAÇÃO utilização de um desfecho forte para impressionar os ouvintes. O orador retoma os pregadores de que falava no conceito predicável, servindo-se dele próprio como exemplo alegando que não estava a cumprir a sua função. Alega também que ele (homens) e os peixes, nunca vão chegar ao sacrifício final Padre António Vieira diz que a irracionalidade, a inconsciência e o Os peixes já vão Os homens vão instinto dos peixes, são melhores do que mortos; mortos de a racionalidade, o livre arbítrio, a espírito; consciência, o entendimento e a vontade do homem.
• . “Louvai a Deus, porque vos criou em Repetição da expressão tanto número. Louvai a Deus, que vos Louvai a Deus distinguiu em tantas espécies; louvai a que acentua a finalidade do Deus, que vos vestiu de tanta Sermão : o louvor a Deus variedade e formosura; louvai a Deus, que todos devem prestar. que vos habilitou de todos os instrumentos necessários para a vida”“(…) e assim como no princípio vos deu sua benção , vo-la dê também Quiasmo: Sugere a transposição dos agora. Ámen. Como não sois peixes para os homens: já que os capazes de Glória, nem de Graça, peixes não são capazes de nenhuma não acaba o vosso Sermão em dessas virtudes, sejam-no os homens.Graça e Glória.”

Esperando que não te falte o folego para ler tanta sabedoria do Dr. Google, me despeço com um beijo sub-aquatico..:-)))))))


De Pe. António Vieira a 21 de Março de 2014 às 13:43
Caro Carapau:
Tu, que quando ainda eras jaquinzinho, assististe ao meu célebre (desculpa-me a imodéstia) sermão, sabes a imensa consideração que tenho por ti, pois foste dos poucos que a ele assistiram com compostura e mais, dos poucos, senão o único, que o entenderam. Além disso é a 2ª vez que fazes referência à minha obra neste teu lugar de “coltura” (desculpa fugir-me o pé para as latinices…), o que muito me honra. Dito isto e esperando que continues em boa forma, aqui te deixo um abraço e também a resposta a essa Senhora que “copiou e colou” do Google (que nem latim sabe) umas tretas sobre mim. Portanto, sabendo que me permites esta usurpação do teu espaço, aqui lhe deixo a resposta:
Minha Senhora:
Vos quibus rector maris, atque terrae
Jus dedit magnum necis, atque vitae;
Ponite inflatos, tumidosque vultus;
Quidquid a vobis minor extimescit,
Maior hoc vobis dominus minatur.

Aceite, todavia, os meus respeitosos cumprimentos.
Pe. António


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Dezembro 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
28

29
30
31


.posts recentes

. E vai (mais) um...

. Pó e teias de aranha

. Aleluia!

. Dignidade

. Balanço

. Outros Natais...

. A dúvida

. Promessas...

. Pulítica

. O não post...

.arquivos

. Dezembro 2019

. Novembro 2018

. Dezembro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

blogs SAPO

.subscrever feeds

Em destaque no SAPO Blogs
pub