Quinta-feira, 20 de Março de 2014

Como se faz um post

1- O plágio

Arranca-se de um jornal uma dessas notícias da treta, tosca, parva, estúpida e informe; e depois que se desbastou o que não interessa, agarra-se no computador e, dedos nas teclas, começa-se a formar o post. Primeiro, período a período, depois frase a frase até à palavra por palavra. Adoça-se aqui, apimenta-se ali, arredonda-se acolá, prepara-se o “suspense”, emenda-se isto, substitui-se aquilo, estica-se se estiver curto, corta-se se estiver comprido, até ficar um texto aceitável, talvez até publicável.

 

2- O plagiado

 

O Estatuário (Padre António Vieira)

 

Arranca o estatuário uma pedra dessas montanhas, tosca, bruta, dura, informe; e, depois que desbastou o mais grosso, toma o maço e o cinzel na mão, e começa a formar um homem, - primeiro, membro a membro, e depois feição por feição, até a mais miúda; ondeia-lhe os cabelos, alisa-lhe a testa, rasga-lhe os olhos, afila-lhe o nariz, abre-lhe a boca, avulta-lhe as faces, torneia-lhe o pescoço, estende-lhe os braços, espalma-lhe as mãos, divide-lhe os dedos, lança-lhe os vestidos; aqui desprega, ali arruga, acolá recama; e fica um homem perfeito, e talvez um santo que se pode pôr no altar.

 

3 – A explicação


Um destes dias, acordei com o “Estatuário” na cabeça. Como não uso barrete de dormir, fico com a cabeça livre para nela entrar qualquer coisa. Conheço o texto desde a minha 4ªclasse, pois fazia parte do “Livro de Leitura”. No liceu voltei a encontrá-lo e aprendi a apreciar a precisão de cada um dos verbos que aparecem no texto. Depois de me rebolar duas vezes na cama sem conseguir “sacudir” o Vieira, resolvi que o melhor era fazer um post, “a meias” com ele.

Foi assim que mostrei como se faz um post em “3 tempos”.

 

Texto escrito conforme o Acordo Ortográfico - convertido pelo Lince.        

publicado por Carapaucarapau às 10:12
link | favorito
De Labirinto de Emoções a 20 de Março de 2014 às 20:16
Meu queriso Carapau, tu que és peixe lindo, elegante e reluzente, terás certamente ouvido contar através dos teus antepassados O Sermão aos Peixes do Padre António Vieira...e como não plagio ninguem, e como não me apetece ir dar voltas na cama com o Pª Viera na cabeça, levas já com ele...:-)))

".....• . Sermão de Santo António aos Peixe Trabalho de Padre António Vieira
• √Foi pregado em S. Luís de Maranhão, no dia 13 de junho de1654;√Todo o sermão é uma alegoria, porque os peixes são a personificação dos homens;√ Com uma construção literária e argumentativa notável, o sermão louva algumas virtudes humana se, principalmente, censura com severidade os vícios dos colonos;√Este sermão foi pregado três dias antes de Padre António Vieira embarcar ocultamente (a furto) para Portugal, para obter uma legislação justa para os índios;
• . “Com esta última advertência vos despido, ou me despido de vós, meus Peixes. E para que vades consolados do Sermão, que não sei quando ouvireis outro, quero-vos aliviar de uma desconsolação mui antiga, com que todos ficastes desde o tempo em que se Livro da Bíblia, cuja finalidade é regular o culto entre os hebreus.o Levítico” publicou O nome vem-lhe do facto de ter si do a tribo de Levi a escolhida para o serviço litúrgico. O primeiro livro do Levítico pode considerar-se um ritual dos sacrifícios.
• . PERORAÇÃO utilização de um desfecho forte para impressionar os ouvintes. O orador retoma os pregadores de que falava no conceito predicável, servindo-se dele próprio como exemplo alegando que não estava a cumprir a sua função. Alega também que ele (homens) e os peixes, nunca vão chegar ao sacrifício final Padre António Vieira diz que a irracionalidade, a inconsciência e o Os peixes já vão Os homens vão instinto dos peixes, são melhores do que mortos; mortos de a racionalidade, o livre arbítrio, a espírito; consciência, o entendimento e a vontade do homem.
• . “Louvai a Deus, porque vos criou em Repetição da expressão tanto número. Louvai a Deus, que vos Louvai a Deus distinguiu em tantas espécies; louvai a que acentua a finalidade do Deus, que vos vestiu de tanta Sermão : o louvor a Deus variedade e formosura; louvai a Deus, que todos devem prestar. que vos habilitou de todos os instrumentos necessários para a vida”“(…) e assim como no princípio vos deu sua benção , vo-la dê também Quiasmo: Sugere a transposição dos agora. Ámen. Como não sois peixes para os homens: já que os capazes de Glória, nem de Graça, peixes não são capazes de nenhuma não acaba o vosso Sermão em dessas virtudes, sejam-no os homens.Graça e Glória.”

Esperando que não te falte o folego para ler tanta sabedoria do Dr. Google, me despeço com um beijo sub-aquatico..:-)))))))


De Pe. António Vieira a 21 de Março de 2014 às 13:43
Caro Carapau:
Tu, que quando ainda eras jaquinzinho, assististe ao meu célebre (desculpa-me a imodéstia) sermão, sabes a imensa consideração que tenho por ti, pois foste dos poucos que a ele assistiram com compostura e mais, dos poucos, senão o único, que o entenderam. Além disso é a 2ª vez que fazes referência à minha obra neste teu lugar de “coltura” (desculpa fugir-me o pé para as latinices…), o que muito me honra. Dito isto e esperando que continues em boa forma, aqui te deixo um abraço e também a resposta a essa Senhora que “copiou e colou” do Google (que nem latim sabe) umas tretas sobre mim. Portanto, sabendo que me permites esta usurpação do teu espaço, aqui lhe deixo a resposta:
Minha Senhora:
Vos quibus rector maris, atque terrae
Jus dedit magnum necis, atque vitae;
Ponite inflatos, tumidosque vultus;
Quidquid a vobis minor extimescit,
Maior hoc vobis dominus minatur.

Aceite, todavia, os meus respeitosos cumprimentos.
Pe. António


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Dezembro 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
28

29
30
31


.posts recentes

. E vai (mais) um...

. Pó e teias de aranha

. Aleluia!

. Dignidade

. Balanço

. Outros Natais...

. A dúvida

. Promessas...

. Pulítica

. O não post...

.arquivos

. Dezembro 2019

. Novembro 2018

. Dezembro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

blogs SAPO

.subscrever feeds

Em destaque no SAPO Blogs
pub