Quinta-feira, 18 de Abril de 2013

O Carmo ... e a Trindade

Há umas dezenas de anos atrás, um amigo meu ia a passar no Largo do Carmo, em Lisboa e resolveu sentar-se a descansar à sombra, num dos bancos que então havia no Largo (não sei se ainda hoje existem ou não).

Mal se tinha sentado, a sentinela do Quartel do Carmo (da GNR) chamou-lhe a atenção dizendo que era proibido sentar-se naqueles bancos. O meu amigo achou estranho e perguntou a razão da proibição. A sentinela disse que não sabia, mas que havia ordens para não deixar sentar ninguém.

Como aquilo não fazia sentido, pediu para falar com o “Oficial de dia” que apareceu passado pouco tempo. O meu amigo explicou-lhe a razão daquela sua chamada.

O “Oficial de dia”não sabia daquela ordem, perguntou à sentinela a razão da proibição. A resposta foi igual, não sabia, mas com um pormenor: aquela proibição estava na “ordem do dia”. O oficial foi ver a “ordem do dia” e lá estava o assunto. A razão? Não sabia. Foi ver a “ordem do dia” anterior e lá estava também a proibição. Perguntou a um e a outro, ninguém sabia quem tinha dado a ordem e quando, pois chegaram à conclusão de que o “caso” já vinha muito lá de trás. As ordens do dia era copiadas da do dia anterior e raramente tinham alguma coisa de novo. Limitavam-se a transcrever o que devia ser feito pelos diversos “atores” do Quartel. De investigação em investigação o caso foi levado até ao Comandante do quartel que também não sabia nada sobre o assunto. Depois de muita conversa, de muitas interrogações, de muita pesquisa, alguém se lembrou dum episódio passado há uns meses (ou anos?) atrás e que explicava a proibição e o facto de ser a sentinelas de serviço na portaria a zelar por aquela ordem de ninguém se poder sentar nos bancos do Largo do Carmo.

Acontecera que um dia a Câmara pintara os bancos e pedira no quartel para que a sentinela não deixasse ninguém sentar-se durante um ou dois dias enquanto a tinta estivesse fresca. Medida cautelar para não estragar a roupinha aos cidadãos mais distraídos. Nesse dia essa obrigação da sentinela saiu na “Ordem do dia” e como se está mesmo a ver, foi sucessivamente copiada ao longo de meses (ou anos?).

O meu amigo fartou-se de rir com o assunto, os próprios oficiais também acharam muita piada ao caso e isto só prova como as coisas podem acontecer na vida duma instituição e na vida duma pessoa. A rotina, a falta de atenção dedicada aos assuntos, numa palavra, a falta de profissionalismo

conduz quase sempre a estas situações. Também aqui, como contei no post anterior, o assunto devia ter sido arquivado no dossier dos casos curiosos.

Mas por cá não há esse sentido de humor…

Um dia eu andava a passear com o meu amigo na baixa, subimos o Chiado, a conversar ele disse-me que me ia mostrar uma coisa e levou-me até ao Largo do Carmo. Sentamo-nos num dos bancos e então ele contou-me a história que aqui deixo registada.

Para que conste.

 

Texto escrito conforme o Acordo Ortográfico - convertido pelo Lince.        

publicado por Carapaucarapau às 13:47
link do post | comentar | favorito
13 comentários:
De Carapau a 23 de Abril de 2013 às 18:55
Pronto! Havia de aparecer logo uma "aproveitadora".
A "Cantinho ""despiu-me" e tu aproveitas a deixa e botas malícia no caso. Apetecia-me dizer aquela história de "um homem como tu, bem lavado e todo nu..." mas não digo, que isto aqui é um blog sério. Passo a vida a gritar isto ao mundo e o mundo não me acredita.
Nem o mundo nem tu, que depois disfarças com um "respeitoso ósculo num opérculo".
Bolas! Nunca mais consigo impor respeito nisto...:)))
Um bjo. com toda a malícia que ouses supor :))


De maria teresa a 23 de Abril de 2013 às 22:43
Ousei! Ousei! Ousei! rsrsrsrsrsrsrsrs


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Novembro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
22
23
24

25
26
27
28
29
30


.posts recentes

. Pó e teias de aranha

. Aleluia!

. Dignidade

. Balanço

. Outros Natais...

. A dúvida

. Promessas...

. Pulítica

. O não post...

. Quem sai aos seus ...

.arquivos

. Novembro 2018

. Dezembro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

.Contador de visitas

Criar pagina
Criar pagina
blogs SAPO

.subscrever feeds