Quarta-feira, 4 de Agosto de 2010

Hoje há saldos!

 

Lupa - objecto que serve para ampliar e que fica sempre bem a ilustrar um post…

 

 

Hoje há saldos!

 

Quem levar um procurador tem direito a um poema do Camões!

Oportunidade única! Últimos dias!

 

Até hoje ainda nunca precisei de um procurador para me tratar de nada. Mas há muita gente que não passa sem ele e até a centenária república não passa sem ter um sempre à mão. Há os emproados, sisudos e mais ou menos calados, os risonhos e fala-barato (os microfones à frente do focinho são uma tentação) e ainda outros do tipo descontraído a darem-se ares de que são modernaços, etc, coisa e tal, signifique isto o que significar, que eu de significados sei pouco.

Mas sei ouvir, ler e ver, o que já não é nada mau, e sobretudo sei tirar conclusões, ainda que muitas vezes erradas, no que estou muito bem acompanhado, como qualquer pessoa pode ver, desde que não ande distraída.

A verdade é que o hábito não faz o monge, diga lá o contrário quem quiser, que eu apresento provas.

Eu estou a falar, para quem ainda não entendeu, do PGR, sendo o G de geral, que eu cá não falo de casos particulares, a não ser neste caso.

Há processos que se arrastam há “milénios”, outros que prescrevem, procuradores ajudantes e ajudantes de procuradores que andam à porrada uns com os outros (mesmo que só verbalmente), procuradores bem vestidos e procuradoras mal lavadas e despenteadas, que dizem todas as semanas que para a semana que vem é que é a sério, que vendem peixe quando deviam estar a procurar com afã a verdade, há quem diga branco e diga preto ao mesmo tempo, há quem coce os ditos todo o tempo e se apresente como mártir de trabalho, há isto e aquilo e trinta por uma linha e a tudo o procurador chefe ou se cala ou abre a boca e sai asneira, com licença da mesa.

Há tempos como “prova” de que é uma pessoa de bem, honesta e que não mente, invocou a sua condição de beirão, como se alguma vez o lugar onde se nasce pudesse ser garantia de alguma coisa.

Eu, que não sou beirão, fiquei pasmado e não deixei de pensar em tantos e tantos que conheci e a quem não confiava nem dez reis de mel coado. Tenho dificuldade em entender estas pessoas.

Exactamente a mesma dificuldade em perceber como uma pessoa que diz que não tem poderes para fazer o que deveria ser feito (e já era assim antes de ter tomado posse do cargo), não tenha pura e simplesmente rejeitado o convite e o cargo. E agora que o governo diz que está há sete meses à espera que ele diga quais os poderes de que ele diz precisar, não tomou a atitude que um beirão, um minhoto ou um alentejano devia fazer, que era pedir a demissão.

Mas o magano do poder pega-se ao fundilho das calças e é muito difícil descolar da cadeira.

 

Sete meses! É certo que não são sete anos, porque

 

 

Sete anos de pastor Jacob servia
Labão, pai de Raquel, serrana bela;
mas não servia ao pai, servia a ela,
Que a ela só por prémio pretendia.

 

Os dias na esperança de um só dia
Passava, contentando-se com vê-la:
porém o pai, usando de cautela,
em lugar de Raquel lhe deu a Lia.

 

Vendo o triste pastor que com enganos
Assim lhe era negada a sua pastora,
como se a não tivera merecida,

 

Começou a servir outros sete anos,
Dizendo: Mais servira, se não fora
Para tão longo amor tão curta a vida.

 

 

mas mesmo assim é muito tempo!

publicado por Carapaucarapau às 19:46
link do post | comentar | favorito
13 comentários:
De Madre superiora a 6 de Agosto de 2010 às 10:10
Eu levo o procurador já q está em saldos. Perco tanta coisa nesta vida que preciso de alguém que as procure por mim, que já estou cansadota.

Ainda agora dei por mim a procurar um santinho do altar que me desapareceu...


De Carapau a 8 de Agosto de 2010 às 11:31
"Precura" bem que quem procura sempre encontra.
Vê lá o santinho não tenha iudo no entulho das obras "lá de casa"...


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Novembro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
22
23
24

25
26
27
28
29
30


.posts recentes

. Pó e teias de aranha

. Aleluia!

. Dignidade

. Balanço

. Outros Natais...

. A dúvida

. Promessas...

. Pulítica

. O não post...

. Quem sai aos seus ...

.arquivos

. Novembro 2018

. Dezembro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

blogs SAPO

.subscrever feeds