Quarta-feira, 24 de Fevereiro de 2010

A diferença

                    

 

 

Os franceses diziam que « la différence entre l’homme et la femme, c’est que la différence entre »  .

Eu escrevi « diziam » em vez de « dizem » porque, ao que parece, há cada vez mais diferenças que não entram. É certo que mesmo entre as próprias diferenças há diferenças, pois hoje há muitas diferenças envergonhadas que já nem à porta batem, quanto mais entrar. São em geral diferenças cabisbaixas, que acabam por ser atacadas, geralmente por trás, por outras mais ousadas.

É bem verdade que as palavras são como as cerejas e os pensamentos ainda pior, porque nem caroço têm e assim fui-me deixando arrastar por elas – pelas palavras que não pelas diferenças, entenda-se – quando o meu propósito ao começar este post era bem outro, ou não, porque no fundo isto anda tudo ligado.

O que me fez escrever este post foi uma apreciação que ainda há pouco fiz ao observar o ar de êxtase com que duas representantes do sexo feminino apreciavam uma montra de sapatos.

Não direi que pareciam estar a atingir o sétimo céu, seria certamente exagerado, mas entre o quinto e o sexto andavam com certeza. E foi a partir disso que me pus a pensar em como são diferentes os homens e as mulheres, para além daquela teoria inicial com que tão “brilhantemente” abri este escrito.

Assim um homem, ao calçar os sapatos numa bela manhã, olha-os com mais atenção e percebe que estão a dar as últimas. Pensa: “tenho de comprar outros chanatos logo que tenha tempo”.

E, na 1ª oportunidade, dá uma volta por duas ou três montras, escolhe uns sapatos, entra, aponta “quero um par daqueles” e diz o número. Três ou quatro minutos depois está na rua com os sapatos debaixo do braço.

E lá vai cuidar da vida, podendo mesmo acontecer que esse “cuidar da vida” tenha a ver com as diferenças acima referidas.

Uma mulher não. De manhã quando se levanta pensa em muitas coisas, certamente que  algumas dessas coisas são até muito sérias e nem têm a ver com as tais diferenças (sempre elas, reparam?) e também “vai à vida”, qualquer que seja essa vida.

Mas (sempre o terrível “mas”) se acontece que no seu “tratar da vida” tem de passar por uma montra, o mundo aparentemente organizado e rigoroso treme nos seus alicerces, o sol perde parte do brilho, a terra chega por vezes a abanar e ela pára. Sapatos! “Olha aqueles tão giros. E aqueles ali… Se tivessem uns um bocadinho mais claros… vou entrar. Pode ser…”

Antes de ela entrar, vamos nós entender-nos aqui. Ela tem, pelo menos, uns trinta pares lá em casa, e à maior parte deles, só os calçou uma ou duas vezes, porque “afinal não era bem isto que eu queria”. E só porque no seu “disco rígido” está gravada esta informação, ela entra exactamente na loja porque “aqueles sim” são exactamente aqueles com que sempre sonhou e além disso até são giríssimos. “Giríssimo” não é o material de que são feitos, seja cabedal, calf de 1ª qualidade, pano ou plástico.

“Giríssimo” é quase um estado de alma.

Apressando as conclusões: ela entra, desfaz a loja de alto a baixo, calça, descalça, torce o nariz ou não e duas horitas depois (convém dizer que cada “horita” tem uns 90 minutos) ela sai da sapataria. Com os sapatos? Às vezes sim, às vezes não e então lá terá de recomeçar tudo noutra loja.

No fim da aventura, repara que “já é tarde”, lembra-se que tinha de levar manteiga para o pequeno almoço dos pequenos, mas acha que já não tem tempo e corre para casa, pensando que afinal a manteiga até nem faz muito bem à saúde, o melhor é impingir-lhes a marmelada que a mãe lhe ofereceu e que os miúdos não gramam. Nessa retirada apressada, ainda arrisca um olhar para mais duas ou três montras.

Estas sim, eram (são) as diferenças a que eu queria chegar ao começar o post.

As hormonas, as testosteronas, as feromonas (neste caso dos sapatos – os sapatos novos exalam umas feromonas especiais, os fabricantes já as aplicam) e sobretudo as “monas” diferentes é que ditam este diferente comportamento “entre l’homme et la femme”.

“Ainda bem” penso eu agora, senão não tinha escrito este “maravilhoso” post…

 

publicado por Carapaucarapau às 14:41
link | comentar | favorito
43 comentários:
De Calendas a 24 de Fevereiro de 2010 às 17:56
Posto o que li, conclui que devo ser gajo! E nem tenho nada que entre en la diference. Sou portanto um gajo incompleto. Balham-me os deuses!


De Carapau a 25 de Fevereiro de 2010 às 11:01
Essa do "incompleto" está boa!
Há tantos completos que não exercem...
Agora o que fica provado é que tens bom senso (e bom gosto) e por isso é que vens aqui visitar a caverna.
Isto, aliás, aplica-se a todos os visitantes (poucos mas tudo "gente fina") que não compram sapatos só por serem "giros", mas também não andam descalços.


De Maria Araújo a 24 de Fevereiro de 2010 às 18:20
O que aqui contas é verdade, mas também depende da disponibiladade financeira.
Adoro sapatos, principalmente de Verão,mas controlo-me e não compro só porque gosto.
Já aconteceu ver na montra, entrar , provar, pagar e vir embora. E o contrário também, mas não perco horas a virar a sapataria.
Páro para ver, mas não me perco.
Com roupa é igual.
Não tenho muita paciência.
Já fui pior, sim, quando era mais jovem.
Mas Carapau, há homens que são terríveis nas compras.
Todos diferentes, todos iguais.
As feromonas, as hormonas e tudo o que termina em "mona", existem em todos as "monas" , que no caso dos homens pode ser em carros, por exemplo.
Beijinho


De Calendas a 24 de Fevereiro de 2010 às 20:29
Cá o meu ressonador é mais para os perfumes, cd´s e toda a panafernália informática.

Eu gasto o mru rico dinheirinho (espécie em vias de extinção) em viagens e livros.

sapatos e roupa, só quando preciso e pouco mais. Sou gajo, pronto!


De Carapau a 25 de Fevereiro de 2010 às 11:07
Pois, pois, pois, mas vais comprando...
O post é uma caricatura, como toda a gente percebeu, e falei em sapatos como podia falar de outras coisas.
Em ambos os sexos (e até no "outro") há de tudo.
Mas a apetência para comprar "qualquer coisinha" é maior nas mulheres. Há certamente razões para isso, mas essa análise deixo-a para as mulheres entendidas.
Bjo.


De Rafeira a 24 de Fevereiro de 2010 às 20:36
Estou com a Calendas, sou gajo! Nunca tinha dado por isso.
Nas sapatarias, ou em todo o lado, só entro se preciso... se tem mesmo que ser, detesto aquela frase chave: Posso ajudá-la? Saio e entro noutra.
Só trago o muito cómodo, sem saltos e escolho cores que dêm bem com outras ... nem olho a preços.
Sempre entrada por saída ... prefiro um lanchinho a olhar calmamente para o rio, quando o tempo o permite.
Mas sim, tens razão Carapau, há quem viva para isso


De Maria Araújo a 24 de Fevereiro de 2010 às 21:39
Olá. Também não gosto que se aproximem de mim e perguntam se quero ajuda. Gosto de entrar na loja e ver, apreciar, como fço com os livros, as peças de decoração essas coisas que as mulheres apreciam

Beijinho


De Carapau a 25 de Fevereiro de 2010 às 11:12
Eu a julgar que a frequência do blog era principalmente feminina e afinal só me "saiem" gajos!!!
Muito me engano eu! :-)
A resposta que dei à Calendas também se aplica a ti e a todas (mesmo que "gajos") que vêm até aqui.
Gente de bom gosto!!!
:-)


De Rafeira a 24 de Fevereiro de 2010 às 20:48
Adenda: Mas não são só mulheres, há homens igualmente paranóicos com compras, e não só carros, recebi um mail onde mostravam uma das lojas mais caras de Los Angeles , que tem entre os clientes VIP um gajo chamado José Sócrates


De Maria Araújo a 24 de Fevereiro de 2010 às 21:41
Yessssssssssssssssss, Rafeira.
Bem apanhado.


Beijinho


De Carapau a 25 de Fevereiro de 2010 às 11:17
Mas o gajo tem tempo para fazer compras e ainda por cima em Los Angeles?
Eu vejo-o a toda a hora na TV-Vendas a vender banha de cobra!!! (Por acaso não vejo porque a minha TV tem a posição off).
A tua fonte de informação deve estar errada ou então tem sósias... (oh se tem!)

E sócios também.


De maria teresa a 24 de Fevereiro de 2010 às 23:49

Mas quem disse ao Carapau
Que toda a fêmea é assim?
Compara-as com um lacrau?
A um invertebrado? Sim!

Este peixe tem que aprender
Que nem todo o mulherio
Não tem mais nada que fazer
Que aturar seu desvario…

Tenha tino! Tenha juízo!
Não tire essas conclusões
As mulheres não trazem guizo
Como muitos matulões

Muitas são emancipadas
Sabem aquilo que querem
Dão algumas sapatadas
Fazem tudo o que puderem…

Comprar sapatos a eito?
Mas que enorme mentira!
Compra apenas o eleito
Aquele que mais admira.

Carapau espero que aprendas
A conhecer bem a mulher
Para não perderes tuas “prendas”
Num mar revolto qualquer.
MT


De Maria Araújo a 25 de Fevereiro de 2010 às 09:06
Grande poetisa é a Maria Teresa.

O Carapau vai ficar de olho em bico.
Beijinho


De Carapau a 25 de Fevereiro de 2010 às 11:28
O tiro saiu-te muito alto,
Levantaste demais a alça.
Ou compras sapatos de salto,
Ou acabas por andar descalça.

Claro que só compram o "eleito"
Não disse que os compram a rodos.
O problema está no defeito
De gostarem de eles todos.

Não entendes uma caricatura
Por isso só mandas bocas.
Que te hei-de fazer criatura?
Parece que só tens ideias ocas!

O que te vale nisto tudo
É eu saber o que vales.
Julgas-te ainda no Entrudo...
Fosse esse o pior dos males!!!

Defendes o indefensável
Defendes uma causa perdida!
Não fosse eu tão amável
E achar-te uma querida,

Dava-te cabo da proa
Com que apareces aqui.
Tens de comer muita broa!
Mas que fazer? Gosto de ti...

:-)


De maria teresa a 25 de Fevereiro de 2010 às 14:04

O tiro saiu-me muito alto?
Isso diz quem sente um golpe
Passei-te a perna num salto
Corri sempre a galope…

Viraste o bico ao prego
E fizeste-o porque sabes
O quanto vale o meu ego
E quanto eu sei o que vales!

Mandei bocas! Disparate!
Bocas só as de botija
Cacei-te em pleno dislate
Tudo isso não te alija

Não entendo, dizes tu!
Mas quem és tu, digo eu?
Para fazeres um sururu
À volta do que é meu


Meu é o modo de pensar
Teu a tua teimosia
Braço a torcer não vais dar
É de homem! Só podia!

Eu no Entrudo? Não estou!
Há muito que de lá saí
A tua caverna vagou?
Por isso é que estás aqui?

Sem escamas não vais ficar
Pois nas entrelinhas li
Que mesmo a bem refilar
Gostas de mim, isso eu vi…

PS- Como dono deste espaço
Agradece à Cantinho
Ela gosta do que “faço”
Dá-lhe, por mim, um beijinho…


De Carapau a 25 de Fevereiro de 2010 às 17:52
É de mulher, está visto!
Ninguém a consegue calar.
Adora este petisco
De vir pr' aqui desabafar.

E tenta provocar desacatos
E denegrir-me a imagem.
E tudo por um par de sapatos!
Mas que grande sacanagem. :-)

No entanto, como sou bom
Nunca me metes em apertos.
Tenho comigo este dom:
Estou sempre de braços abertos.

P'ra te receber a ti, Teresa
E a quem me venha visitar.
A lareira está sempre acesa:
Podem sentar-se e escrevinhar.


De maria teresa a 25 de Fevereiro de 2010 às 19:03
Obrigada Carapau! Eu sabia! Eu sabia!
Tens um coraçãozinho d´oiro…distribuis muita alegria
O que seria de nós, sem a tua companhia?
MT


De Carapau a 25 de Fevereiro de 2010 às 22:08
Ah!Ah!Ah!
Agora sou Carapau de companhia!


De maria teresa a 25 de Fevereiro de 2010 às 22:17
Se fosses do Porto eu diria: "Carago! Este gajo nunca está satisfeito! É um Carapau muito exigente!"


De Maria Araújo a 26 de Fevereiro de 2010 às 22:59
Querias tu Carapau
Estar sentado à lareira
Com todas estas mulheres
Que recebes de braços abertos.



Bj


De Carapau a 27 de Fevereiro de 2010 às 12:30
Parece-me estar a ver o filme imaginado por ti:
à frente brasas; à volta, mais brasas; no centro o Carapau a ser grelhado em fogo lento.

Rica amiga és tu!!! :-)
Bjo.


De Maria Araújo a 26 de Fevereiro de 2010 às 22:56
Depois de alguns dias
Não pôr aqui os olhos
E eis que hoje leio
Um poema à Cantinho.

Obrigado Maria Teresa
Gosto dos seus versinhos
Que com muito carinho
Os escreve meste Carapau/cantinho.





De Maria Araújo a 26 de Fevereiro de 2010 às 22:30
Quantos ciúmes eu tenho
Destas palavras, Carapau
À menina Maria Teresa
Que te conquistou o coraçau(ão).

Pudesse eu ter
O vosso sentido poético
Far-te-ia a ti, Maria
Um duel(t)o de desafio

E quanto a ti, Carapau
Dizeres que gostas dela.
Cuidado! Sou perigosa!
Me aguarda Carapau!
Pois as do Cantinho
Jamais irás comê-las.


De maria teresa a 26 de Fevereiro de 2010 às 23:17
Há quem esteja com ciúme!
Ó my God que foi que fiz?
Inda há pr´aqui um crime!
Mas eu não sou uma perdiz...


De Carapau a 27 de Fevereiro de 2010 às 12:34
"Comê-las"? Ou comê-los?
Uns pastelitos de Belém, não digo que não ...
:-)


De Maria Araújo a 28 de Fevereiro de 2010 às 14:02
Comê-los, os de Belém. Esses estão garantidos. Quanto a comê-las as "do Cantinho"...Entendes?.


Bj


De Eva Gonçalves a 25 de Fevereiro de 2010 às 11:45
Vim cá pela primeira vez ontem, já a noite ia alta, e resolvi seguir o blogue, que muito agradou. Sabe-se lá porque razão, ainda não tinha cá posto os pés envoltos num dos dois pares de sapatos que possuo, neste espaço, dado o prazer que sempre tive em ler os seus comentários no Beijinhos embrulhados. Mas a verdade, é que ainda não o tinha feito. E deparo-me com este texto, muito bem delineado, diga-se, com sentido de humor qb, mas que peca por realçar muito bem, lá está, la différence, primordial, entre os sexos e que teima em se manifestar: Os tão famosos (entre nós mulheres...), estereotipos das mulheres que os homens realmente gostam de fazer. Eu sei que sou uma aberração feminina, mas realmente, sapatos é coisa que nunca me interessaram e possuo no meu armário, nada mais, nada menos, que dois pares de sapatos, um par de botas, umas sapatilhas e uns chinelos de quarto. E chegam, rrsss, eu cá sou como as ciganas, se pudesse andava mesmo permanentemente descalça, como fazia em criança!! Adianto que passo por várias montras na "ida à vida", e nunca olho para elas, pois entrar em lojas, é como me arrancarem dentes sem anestesia(E sim...por acaso, tive um dentista que fazia isso!!) Por isso caro carapau, felizmente nem todos os homens entram em sapatarias e saiem com um novo par de sapatos debaixo do braço(???? rrrssssssss!!), e apenas posso dizer, Thank God there's plenty fish in the sea!!


De Carapau a 25 de Fevereiro de 2010 às 18:21
Em primeiro lugar uma vénia de boas vindas. A caverna é sua, esteja à vontade, faça o que fizer ninguém lhe leva a mal.
Também já a fui visitar mas não deixei cartão de visita e a via utilizada foi a mesma: aquele sítio onde há uma linha de embrulhar beijinhos. ( E veja como são as coisas: lá é toda salamaleques - a MT, entenda-se - e vem para aqui e veja como ela se porta! :-) Ainda bem que a Eva não veio pelo carnaval, porque isto aqui estava uma desgraça. Apanharam-me fora, pintaram-me as paredes com palavrões, tive de as deitar abaixo e fazer outras de raiz.
Quanto aos sapatos eu agora entendo o porquê da crise da respectiva indústria: ninguém os compra. Pela amostra que aqui tenho, isto até parece a turma do pé descalço.
Já agora aproveito este comentário para fazer um pedido colectivo.
Pela vossa rica saúde comprem pelo menos um parzinho: seja de chinelos, botas, tamancos, socas, sapatilhas, tairocas, chanatos, de salto alto, raso ou mesmo sem salto, mas comprem!
A economia nacional agradece!!!
Voltando à resposta: agradecido pela visita, venha sempre que queira, calçada ou descalça,mas aviso-a desde já, que aqui o forno só coze em geral uma vez por semana.
Tenha cuidado com esses "dentistas" (?) e bem pode agradecer a Deus pela abundância de peixe.
Mas atenção: peixes há muitos mas Carapau like este não há mais nenhum. Já lá dizia Neptuno: "se não existisse, nem eu tinha poderes para o inventar".



De MeninaDoRio a 25 de Fevereiro de 2010 às 17:39
Se danço tango calço sapato alto
Mas se fôr ballet uma sapatilha
De sabrina subo a um planalto
E de pantufa aqueço-me na camilha


É obvio que todos somos iguais e todos diferentes.
Tb conheço "meninos" que se perdem nas sapatarias, tal como algumas "meninas".


Esse dom para a escrita e a forma tão engraçada e tão real, como descreves os temas, deliciam-me.

Um beijo










De Carapau a 25 de Fevereiro de 2010 às 18:32
Ora finalmente aparece aqui alguém que tem, pelo menos, 4 pares de chanatos!
Ali para trás parece que anda tudo descalço!
E depois praticas muitas modalidades: danças, fazes ballet, trepas aos planaltos e aqueces-te - quem tem pés tem frio!
E além disto tudo, ainda fazes quadras! :-)
E se calhar aproveitas o rio e ainda nadas. Mulher dos 7 ofícios!
Quanto ao meu "dom" não o conheço. Em boa verdade o único dom que conheci foi o Dom Afonso Henriques e isso já faz tempo...
Bjo. e vai aparecendo.


De MeninaDoRio a 26 de Fevereiro de 2010 às 10:20
A modéstia em demasia transforma-se em defeito...


Bom fim de semana
Um beijo


De Calendas a 25 de Fevereiro de 2010 às 19:01
Bem, vou dizer a verdade verdadinha.

Tenho 2 pares de chinelos tipo pantufas
3 pares de chinelos de enfiar o dedo, que agora, finamente, se chamam Havaianas.
3 pares de sandálias
4 pares de botas
3 pares de sapatos.

Para uma gaja que se quer gaja, isto é o mínimo dos mínimos. Menos do que isto é penúria.

Aproveito para dizer que o Carapau e a Teresinha continuam 5 estrelas. Dá gosto vir aqui.


De Carapau a 25 de Fevereiro de 2010 às 22:12
Total de chanatos: 15
Total de estrelas : 10

Vamos fazer assim: ficas com a sapataria toda e distribuis as estrelas pelas pessoas que aqui vêm.
Obg.


De Red Maria a 26 de Fevereiro de 2010 às 18:18
Viraram todas gajos. Nem vaidosas são. Todas muito práticas portanto para remediar a coisa que precisava de um bocado de cor porque estava a ficar cinzentona (tal qual as letras desta caixa) vou ali contar os meus sapatos, sandálias e botas e volto já.

(é coisa para durar uma hora de 90 e muitos minutos por isso não esperem por mim para o jantar!)


De maria teresa a 26 de Fevereiro de 2010 às 21:19
Red Maria! Red Maria!
Não sou gajo não senhora!
Pois se me sento na pia
Sou uma gaja sem “cenoura”

Que o Carapau me desculpe
Por estar sempre a “infernizar”
Eu tenho sempre um “escape”
Digo que estou a passear…
Bjo


De Maria Araújo a 26 de Fevereiro de 2010 às 22:48
Quiseste passar Maria Teresa
Por um gajo atrevido
Agora aguenta as "favas"
Da Red Maria, a querida.

Dizes que não és gajo.
E quando te sentas na pia
És uma gaja sem "cenoura".
Mas ó Maria Teresa
Esqueces-te que a cenoura
Está na tua língua?

Pedes desculpa ao Carapau
Tranquilo e inocente
Andas a infernizar´
A vida de outras gentes.

Dizes que arranjas um "escape"
Por estares a "infernizar"
Compra umas sapatilhas
E vai passear pró Continente.




De Maria Araújo a 26 de Fevereiro de 2010 às 22:50
P.S.:

Carapau e Maria Teresa,
Sou uma não poeta
Mas com estas palavras
Gozei como um poeta.

Bjs


De maria teresa a 26 de Fevereiro de 2010 às 22:58
Como sou obediente...
Cá vou eu krida amiga!
Vou até ao Continente
Se não me doer a barriga!


De rir... mas isto não dá com a rima...


De Carapau a 27 de Fevereiro de 2010 às 12:57
Vai antes ao Pingo Doce
Que tem a melhor cenoura.
Isto está pior do que se fosse
Como o blogue da loura.

Ciúmes,cenouras, sanitas
Já não sabes o que dizes.
Calem-se lá pequenitas
Com essa história das perdizes.

(Que eu não entendi)

Bom fim de semana para toda a gente, cuidado com o vento, aproveitem para limpar os sapatinhos.
P'rá semana há mais!


De Maria Araújo a 27 de Fevereiro de 2010 às 14:27
Bom fim de semana, Carapau
Que estes comentários já estã longos
Qualquer dia vem o Sapo
Com o destaque merecido

Beijinho



De Carapau a 27 de Fevereiro de 2010 às 12:40
Assim é que é falar!
Até que enfim que aparece uma mulher por aqui!!!
Como já passaram muitas horas, faço ideia da quantidade de sapatinhos que há por aí.
Ainda bem que respondeste ao meu apelo.


De Carapau a 27 de Fevereiro de 2010 às 12:43
Esta resposta era para a Red Maria.
Ficou tão desarrumada (a resposta), como ela deve ter os sapatos, para nunca mais chegar ao fim da contagem...


De Red Maria a 27 de Fevereiro de 2010 às 14:07
Adormeci nos entretantos tal era a quantidade. Mas estão todos arrumadinhos que eu cá gosto de ter as coisas nos seus devidos sítios e sempre à mão, neste caso ao pé.


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Dezembro 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
28

29
30
31


.posts recentes

. E vai (mais) um...

. Pó e teias de aranha

. Aleluia!

. Dignidade

. Balanço

. Outros Natais...

. A dúvida

. Promessas...

. Pulítica

. O não post...

.arquivos

. Dezembro 2019

. Novembro 2018

. Dezembro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

.Contador de visitas

Criar pagina
Criar pagina
blogs SAPO

.subscrever feeds