Quinta-feira, 19 de Novembro de 2009

Diálogos (mais que) prováveis (III)

 

Há gajitos que começam a roubar desde putos. Começam por roubar o leite à mãe quando a apanham distraída, depois roubam no infantário as chupetas aos colegas, continuam pelos brinquedos, depois lápis, borrachas e afias, passam a roubar lá em casa um dinheiro, aprendem a jurar que não foram eles, nem pensar nisso, “olha que me ofendes pai”, e assim seguem pela vida fora. Quando os roubos passam a um escalão superior vestem Armani, camisas sempre impecavelmente novas, gravatas discretas, a mesma cara de pau “não recebo lições de nada e de ninguém”.

Ao longo da vida sempre continuaram em contacto com os amigos “roubadores” e vão formando “associações de amizade” para desenvolver os seus “negócios”.

Têm uma linguagem própria, uma imensa falta de respeito por tudo e todos e fazem publicamente prova da sua falta de vergonha com a mais estanhada lata. Uma grande parte do respeitável público gosta deles e das suas habilidades, talvez porque no fundo gostava de ser como eles. Destes, alguns sonham em entrar na “roda dos amigos” e poder um dia, também “negociar com eles”.

O diálogo que a seguir transcrevo não é fruto de nenhuma escuta, legal ou ilegal, não meteu juízes nem procuradores, nem foi escutado num qualquer não café. Imaginei-o e escrevi-o. Depois reli-o e não fiquei nada contente com a minha imaginação. A realidade suplanta-a de longe.

 

Aviso: Este post contém expressões e situações que podem ferir a susceptibilidade de algumas pessoas. Se estiver nesse grupo, não continue a leitura.

                                                                                     O

 

 

 

- Olá pá!

- Olá! Como estás?

- Bem, cada vez melhor. E tu? Tá tudo a correr bem?

- Tudo jóia. O tipo lá de cima já se chegou com mais algum.

- Ai sim? Ainda bem. Acho que temos também de apertar um bocado com os outros gajos.

- Já lhes dei uns toques…

- Se os toques não resultarem partimos prá porrada. Apertas aí a tarraxa que os gajos até se cagam. Cambada de filhos da puta! Já vistes isto?

- Já. É tudo a mesma gajada. Aparecem aqui de chapéu na mão a cagar e a tossir e depois de terem o negócio feito tentam fugir com o cu à seringa. Mas acabam por vir às boas, senão já sabem que se fodem.

- É assim mesmo pá! Esses gajos até parece que gostam…Agora temos de tratar da saúde àquela gaja e àquele gajo que me andam a chatear.

- Já falei com o Chico. Já lhe disse que se precisasse de guita para os foder, eu arranjava aqui.

- Claro! É para isso que aí estás.

- A ti o devo, isso não esqueço.

- Isso não é para nós, pá. Hoje tu, amanhã eu. És um porreiro, pá! Os amigos são para as ocasiões. Lembras-te daquela vez…

- Claro que lembro. E amanhã se houver porras cá estou para dar o peito às balas…

- É pá, não exageres…não vai haver porra nenhuma. São todos uns filhos da puta e capados e vêm cá comer à mão.

- Assim espero pá. Olha! Queres que mande a guita para aquele sítio?

- Uma parte sim. A outra tem de ser para pagar umas despesas. Vamos fazer uma campanha de promoção e essa merda custa dinheiro.

- Como queiras.

- Estas porras destas negociatas dão bom dinheiro, mas depois temos de sustentar uns tantos cabrões…

- Cabrões, filhos da puta, paneleiros e “senhores sérios”…

- Ah! Ah! Ah! Essa de sérios tem piada.

- E achas que um dia não aparece por aí nenhum cabrão a meter o focinho nestas merdas?

- Não creio. Os gajos acagaçam-se todos. Têm todos rabos de palha e além disso gostam do bom e da boa vida. E têm filhos, sobrinhos, amigos…enfim, quem tem cu tem medo.

- Mas se por qualquer motivo der para o torto…

- É pá! Descontrai-te que eu cá estou para acabar com tudo. Tenho aí uns amigos nos sítios certos, qualquer merda que haja acaba depressa.

- Já sabes que tenho toda a confiança em ti…

- Claro pá! Somos amigos.

(…)

 

 

Mais do que fazer um post, que aqui entre nós nem é muito bem conseguido, andava a precisar de fazer esta catarse. Não faz o estilo do Carapau, mas nem sempre o estilo é tudo. Além disso, há tipos que não consigo imaginar a falar que não seja daquela maneira, ou ainda pior.

 

“Podia ter evitado os palavrões? Podia! Mas não era a mesma coisa”.

 

 

 

 

 

 

publicado por Carapaucarapau às 13:34
link do post | favorito
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Novembro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
22
23
24

25
26
27
28
29
30


.posts recentes

. Pó e teias de aranha

. Aleluia!

. Dignidade

. Balanço

. Outros Natais...

. A dúvida

. Promessas...

. Pulítica

. O não post...

. Quem sai aos seus ...

.arquivos

. Novembro 2018

. Dezembro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

blogs SAPO

.subscrever feeds