Quinta-feira, 29 de Maio de 2014

Receita para fazer um post

Agarra-se numa boa ideia e logo de seguida unta-se um tabuleiro de ir ao forno, com um pouco de manteiga. Mete-se a ideia no tabuleiro e o tabuleiro no forno. Dependendo do “tipo do forno”, passado pouco tempo o post está pronto a ser publicado.

Claro que, quando se tem uma boa ideia, o melhor é apresentá-la da maneira mais simples, sem muitos temperos, que não vão acrescentar-lhe nada. Qualquer boa ideia, desde que bem apresentada, dá um bom post.

A habilidade, a mestria, a lata se assim quiserem, consiste em ter uma péssima ideia, ou mesmo nenhuma ideia e conseguir escrever um post. Como fazer nestes casos?

A resposta não é simples nem imediata. Requer alguma paciência e imaginação qb.

Um dos caminhos a seguir é começar por dizer como se “cozinha” um post com uma boa ideia. Fala-se no tabuleiro, no forno, no não temperar muito a ideia para ela não perder os sucos.

Uma vez isso feito, passa-se para o caso em que não há nenhuma ideia ou então ela é tão má, que não há molhos nem temperos que a salvem. Claro que mesmo num caso destes, convém acompanhá-la com um arroz branco,

daquele que vai com todas, sejam boas ou más ideias ou até com uma total falta de ideia.

Nesta altura, quando se tem um má ou muito má ideia, ou não se tem ideia nenhuma e chegado a este ponto da preparação, quase sem se dar conta o post está praticamente amanhado.

É só dar mais uma vista de olhos pelos frasquinhos dos temperos, quem gostar de açafrão pode mesmo juntar açafrão ao arroz branco que assim deixa de ser tão anémico, deitar uma golfada de vinho de má qualidade sobre a ideia (já que ela é má não convém estragar um vinho bom), dar uma vista de olhos pelo “petisco” para ver se pelo menos enche o prato e, se mesmo assim for pouco, há sempre a solução de acrescentar mais arroz branco (ou com açafrão se tiver sido essa a opção) e misturar qualquer coisa que haja ali à mão. Estou a lembrar-me, por exemplo, um ditado popular do tipo “a fome é má conselheira” ou, para quem gosta de mais um pouco de picante na comida, “ a puta e o cão estão sempre a olhar para a mão”, ou então acrescentar uma ou duas (nunca mais do que duas) citações de grandes “cozinheiros” para compor a apresentação e finalizar a ementa.

“Apenas os medíocres estão sempre no seu máximo” do grande “cozinheiro”, Somerset Maugham (e aqui para nós não sei se é piada para mim) ou então “as ideias são as raízes da criação” de Ernest Dimnet, que não tive a honra de conhecer, mas deve ter sido um tipo porreirinho, porque me permite acabar em alta este post.

Assim se faz um post a partir do nada. Com a mesma receita também se podem encher chouriços e/ou pneus.

 

Para não se perder tudo:

- Somerset Maugham (1874-1965) conhecido escritor inglês, que nasceu e morreu em França, cuja vida daria para muitos posts. Aliás, se no tempo dele, houvesse “disto”, teria um blog com histórias de nunca mais acabar, porque “palheta” não lhe faltava.

- Ernest Dimnet, (1866-1954) padre francês dado à escrita e à leitura e que, depois da 1ª guerra mundial foi para os Estados Unidos e que também seria bem capaz de fazer um post melhor do que este.

Os dois juntos: 91+88=179 anos !!! (Neste post até contas se fazem!)

 

 O mundo é mesmo uma aldeia. Um era inglês, mas nasceu e morreu em França, onde também viveu, assim como viveu em Inglaterra, na Alemanha e lá pelos Orientes. O outro era francês e viveu a maior parte da vida nos States. E não satisfeitos com isso, juntaram-se, por puro acaso, neste blog onde deram uma mãozinha.

Assim sendo, aqui fica o meu agradecimento por essa “mãozinha”.

 

Texto escrito conforme o Acordo Ortográfico - convertido pelo Lince. (Atenção! Este lince não é o da Malcata)       

publicado por Carapaucarapau às 14:41
link do post | favorito
|
De GL a 31 de Maio de 2014 às 00:49
Cheia de preocupação com o destino deste carapau, dado estarmos na altura de os grelhar, assar, fritar, fazer de escabeche...
Calma, já sei que chega de escabeche, mas não era a este que estava a referir-me.
Dizia eu?...
Ah, já sei!
Vai senão quando, chego e o que encontro? Um pseudo post, realizado com pseudo ingredientes, cozidos num pseudo forno, confecionado por um pseudo cozinheiro, do que resultou? Nem mais, uma belíssima salada.
Russa? Não sei, não lhe perguntei a nacionalidade.
Em suma. A quebra da meditação que tenho estado a fazer é o melhor exemplo daquilo que se chama uma, não má, mas péssima ideia.


De Carapau a 1 de Junho de 2014 às 14:30
Começando pelo fim:
É bem feito que a "quebra da meditação" tenha sido uma péssima ideia, porque aqui deste lado nunca virá (irá) nem bom vento nem bom post.
Por outro lado (aprendi com os "vendedores de banha de cobra") " não estou aqui para enganar ninguém, está ali aquele senhor que não ne deixa mentir"...
É o que tem de bom ser Carapau. Peixe para todos sos gostos e simples de cozinhar: assar, fritar, cozer, grelhar, de escabeche (para quem venha no dia seguinte) e ainda "aux fines herbes" para palatos mais requintados.
E agora a sério (de tal maneira gosto de brincar que tenho sempre de avisar quando quero falar a sério). O "periodo de meditação"
a que te remeteste é repeitável e é o que devemos fazer quando temos dúvidas para continuar ou não a fazer certas coisas (e refiro-me neste caso só ao teu blog). Não devemos é ser muito "definitivos" nas posições, quando elas dizem respeito a coisas menores, como seja continuar ou não um blog.
Por mim falo, pois às vezes apetece-me parar e pouco tempo depois apetece-me continuar.
Portanto pela minha parte enquanto houver pneus para encher cá estarei, a "bufar-lhes" como se diz no Porto.
Caso contrário encho só chouriços. :)
Abraço.


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Dezembro 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


.posts recentes

. Aleluia!

. Dignidade

. Balanço

. Outros Natais...

. A dúvida

. Promessas...

. Pulítica

. O não post...

. Quem sai aos seus ...

. Férias/Feiras

.arquivos

. Dezembro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

.Contador de visitas

Criar pagina
Criar pagina
blogs SAPO

.subscrever feeds