Terça-feira, 30 de Junho de 2015

"Marinheiro de longo curso"

Ontem ao ver um miúdo, que tinha andado numa gaivota, chegar à praia e começar a vomitar, lembrei-me duma cena passada “no tempo em que os animais falavam”.

Numa sexta feira de setembro, ao jantar com um amigo, ele desafiou-me: “que tal amanhã darmos um salto até Peniche? Disseram-me que andam por lá “maningue” de turistas francesas…”. (Explicação entre parêntesis: ele tinha estado 2 anos em Moçambique e era doido por francesas. Acabou por casar com uma sueca)). “Vamos?”.

Fomos. No dia seguinte, via Torres Vedras para uns pastéis de feijão e Praia de Santa Cruz, onde tomamos banho, almoçamos e curtimos a tarde na praia. Ao fim da praia rumamos a Peniche, arranjamos onde ficar, tomamos banho e fomos jantar. Eu sabia que em setembro já não havia turistas franceses (naquela altura a maior parte dos turistas que corriam o país de norte a sul eram franceses e refiro-me a franceses propriamente ditos, dos que “parlavam français” corretamente). Ao jantar já tínhamos concluído que nem turistas nem indígenas havia por ali à vista, ao cair da noite. Brinquei com o meu amigo sobre o assunto e então veio a alternativa, assim tipo “para não perdermos a viagem”.

- E que tal amanhã irmos até às Berlengas? – propôs.

É aqui que entra o miúdo de ontem a vomitar depois do passeio de gaivota. Nos meus tempos de menino e moço passava uns dias de praia na Nazaré e do “programa das festas” fazia sempre parte um passeio de barco a remos na foz do Alcôa, onde passávamos uma hora a brincar, remando, nas águas tranquilas. Quando desembarcava sentia sempre uma sensação estranha, um certo mal estar e uma certa sensação de desequilibro físico, que passava passado pouco tempo. Mais tarde soube que tudo não passava de um princípio de enjoo. Nisso pensei, quando o tema Berlengas veio à baila.

Aceitei mas resolvi ir a uma farmácia comprar uns comprimidos contra o enjoo. Já tinha ouvido falar que a travessia até às Berlengas era meio complicada e atendendo aos meus antecedentes…

O meu amigo tinha uma família ligada ao mar, quer enquanto comandantes de frota bacalhoeira quer como oficiais da marinha mercante, portanto com bastas costelas marítimas. Mas eu, mais ligado à terra…

No domingo, ao pequeno almoço, tomei 2 comprimidos (dose reforçada para dar confiança) e embarcamos pouco depois. No barco, tipo cacilheiro pequeno daqueles tempos, a grande maioria dos passageiros eram duma excursão do norte interior. Creio que só nós dois éramos estranhos ao grupo. O barco saiu do porto e rumou a norte junto à costa, durante uns minutos e a animação era muita. Depois, virou para o mar alto, rumo à Berlenga grande. Começou a apanhar ondulação forte e aí foi o bom e o bonito. Gritos, chamada a todos os santos e santas da corte celeste, tudo entre vómitos, gemidos e gritos de pânico. Água por todos os lados menos por cima, o ambiente ficou pesado e irrespirável. Eu e o meu amigo viemos para a ré do barco, ao ar livre. Aí fizemos o resto da viagem a conversar com um dos membros da tripulação. Era um açoriano habituado a fazer a ligação entre ilhas onde era habitual apanhar “mar forte”. Acabou por nos dizer que até ele já tinha enjoado naquela viagem para as Berlengas. “Hoje até está um bom mar comparado com o que apanhamos em certos dias. Depois, logo à tarde na volta, é totalmente diferente, o mar parece um lago”.

E assim a conversar lá chegamos às Berlengas. À tarde, na viagem de regresso, tudo calmo a tocar e a cantar. O marinheiro tinha razão, não parecia o mesmo mar.

Foi assim o meu batismo de mar alto, onde me portei como marinheiro experimentado.

 

Texto escrito conforme o Acordo Ortográfico - convertido pelo Lince.

E tu Lince amigo, que é feito de ti? Navegas no Guadiana ou nem isso?      

publicado por Carapaucarapau às 16:32
link do post | comentar | favorito
|
11 comentários:
De maria teresa a 1 de Julho de 2015 às 08:19

Bom dia! Bom dia! Quase de saída para as minhas férias, não, não vou de barco mas já fiz bastantes viagens de barco, já vi as gavetas das mesas de cabeceira do camarote abrirem e fecharem, das portas dos roupeiros também, já senti um dos paquetes, o velhinho Funchal, , ficar a baloiçar com as máquinas repentinamente paradas, e apenas com as luzes de emergência , também no estreito de Gibraltar num barquinho de uma escola de mar com o objectivo de observar orcas, o mar entrava no convés com ondas de respeito e a maior parte das pessoas ficou como descreveste na tua viagem… nunca fiz foi uma viagem às Berlengas, talvez por isso. Não enjoei em nenhuma das viagens por mar mas, para grande vergonha minha, clamei por Gregório ao subir a montanha para chegar a Tabuaço ...viagem horrível!!!!
Nas viagens de mar aprendi, quando o mar está agitado a comer maçãs e estas foram-me sempre fornecidas.

Dou-te os parabéns Carapau, nada de fazer más figuras, seu valentaço mas para isso talvez tenha contribuído para além dos dois comprimidos a não existência das citadas francesas mesmo francesas :))))

E com esta me vou, fechando o computador e iniciando uma viagem pela frescura e que prevejo muito mais calma :))))) Não sem antes te deixar um abraço


De Carapau a 3 de Julho de 2015 às 18:49
Em 1º lugar que a viagem tenha corrido bem e que o veraneio seja um sucesso.
Depois...quanto a viagens de barco também fiz várias, além das mencionadas no post. Reincidi na ida às Berlengas e voltei a aguentar-me bem, já fiz várias travessias do Tejo (Lisboa-Cacilhas e vice versa sem problemas :)), id id no Sado, já desci o Douro com toda a pinta, atravessei um lago qualquer ali pelas Europas centrais, já pilotei um barco/inho nas tranquilas águas de Sesimbra e costa Algarvia e andei 2 ou 3 dias num pequeno cruzeiro pelo mar Egeu que mais parecia um lago de azeite que outra coisa.
Isto para dizer que nunca chamei pelo mestre Gregório, mas também seria uma vergonha se o fizesse, com excepção das viagens Peniche-Berlengas, que em geral são "puxadas".
Nunca andei no lago do Campo Grande :) o que é uma falha imperdoável para um marinheiro de longo curso...
Boas férias!
Bjo.


De maria teresa a 3 de Julho de 2015 às 22:45
Vamos entrar em despique? Vamos? Eu que sou muito mais nova do que tu já andei em mais mares, oceanos, rios,lagos, lagoas e afins do que tu!!!! :)
Citando: no rio Tejo não tem conta, no Douro andei menos vezes, subi o Guadiana, andei de barco conduzido por moi , nas barragens de Castelo do Bode e pela Costa Algarvia (embora não tenha carta de marinheiro e muito menos de patrão de costa, mas ia um comigo, o meu genro), já me passeei numa traineira pelos "mares" de Sesimbra, naveguei no Alqueva, no rio Sado, no mar Adriático, no mar Jonas, no mar Egeu, no mar Mediterrâneo, no oceano Atlântico, no oceano glaciar Artico, no mar Jónico, no mar Tirreno, na piscina dos meus compadres e muitas outras, no rio das Mil Ilhas, no tanque do quintal da minha avó e no lago da quinta dos meus bisavós, no rio Sena, no rio Danúbio, ... por canais holandeses em Amesterdão e Groningen ... e já não me "alambro" de mais ... rio Niagára do lado canadense, bem pertinho da catarata desse lado, tive que ir com uma capa impermeável ...num lago interior numa ilha croata de nome Korcula (??)

Estou farta de andar por águas, deve ser por isso que, nem sempre tenho os pés bem assentes na terra :) :):)

Embora esteja de férias, fiquei cansada com este relambório

Vou mesmo e deixo um chuac


De Carapau a 4 de Julho de 2015 às 14:26
Bem feita! Meti-me aqui a "armar ao carapau" e tu só não me arrumas com a tua lista porque eu sou teimoso e não me calo (mas reconheço que o teu "palmarés aquático é muito maior que o meu).
Agora o que nunca fizeste nem poderás vir a fazer no que respeita aa andanças aquáticas é, ter feito o pino dentro de água (de cabeça) na pia que havia no pátio do meu avô onde bebiam as vacas e ter ficado ali a espernear. Teria eu uns 3 anos. Quis o destino que uma alma caridosa visse a situação e permitiu assim, que umas dezenas de anos mais tarde, te esteja aqui a "dar luta". :))
Bjo chuacado e cuidado com o mar.


De maria teresa a 4 de Julho de 2015 às 17:05
Venceste meu querido Carapau, venceste mesmo é que eu, mesmo que quisesse jamais mergulharia de cabeça na ÁGUA mas infelizmente mergulho noutras "coisas"!

Feitios! :) :) :)

Deixo-te mais uns chuacs!


De Labirinto de Emoções a 5 de Julho de 2015 às 03:02
Com tantan viagens expostas in loko.. eu que só fui para à Madeira no Funchal e atravei o tejo no cacilheiro... nada me resta dizer,,, não entro em despiques de navegção... faço parte dos milhões de comuns mortais que não podem gabar dessas viagens de circunavegação...por falta de verbas!!!
Há quem nasça com o rabo virado para a Lua... a meu nasceu bem assente na terra...
Continuação de felizes viagens, que eu contento-me com o cacilheiro a atravessar o meu belissimo Tejo.
Bjs


De Labirinto de Emoções a 5 de Julho de 2015 às 03:10
errata:
1º tanta
2º atravessei
3º nao se podem gabar
4º circum-navegação
(embora não seja viajada, não gosto de dar erros de português)


De Carapau a 7 de Julho de 2015 às 18:50
Venho por este meio tornar publico que o rabo que citas no teu comentário não é o meu. Explico: tenho provas (basta um atestado de nascimento) que nasci por volta das 14 horas dum determinado dia. Ora, cá por estas bandas, a essa hora não há lua à vista. Assim sendo, não posso ter nascido de "rabo virado para a lua". As voltas que dei pelo mundo (poucas e pequenas) não se devem portanto a essa hipótese.
Também nunca fui à Madeira. :)
Bjo.


De GL a 6 de Julho de 2015 às 00:41
Olha, olha, que grande aventura!
Com que então marinheiro? Onde está a carta de navegação que ateste essa competência?
E de longo curso? O curso podia ter sido longo, já os resultados, enfim!...
O menino Carapauzito é marinheiro mas de água doce, percebeu?
Pastilhas para o enjoo? O tristinho da gaivota ainda se compreende, mas para um marinheiro de alto gabarito, como quer fazer crer?!
Da próxima vez o melhor é ir a nado, ou então usar o meio utilizado pelas manas, lembra-se? E olhe que foram bem longe, tão queridas!
Quando as encontrar faça a fineza de lhes apresentar os meus cumprimentos. E com esta me vou. Já devia de ter ido? Ai é?é?Malvado !.,,
Hoje não há abraço, estamos em greve.


De Carapau a 7 de Julho de 2015 às 18:58
A menina até parece que é bruxa!
Então não é que há 2 dias recebi notícias das duas manas que continuam lá pela Alemanha a fazer os seus (delas) pés de meia?
Dão-me notícias e dizem que devem aparecer por cá a partir de meados de Julho. Se o que dizem corresponde à verdade, vão arrasar.
Não me diga que também lhe escreveram a si?
Quanto ao resto do comentário a menina bem podia ter ficado calada, pois eu sou de facto marinheiro de água doce. Às vezes ainda vou até à água das pedras...
Um abraço e bom verão!


De GL a 17 de Julho de 2015 às 16:34
Carapauzito, Carapauzito!
A propósito: e antes de mais nada, quando é que chega a chicharro? Nunca? Logo vi!
As manas, aquelas queridas, claro que escreveram, ou pensava o Caríssimo (está tudo inflacionado consequência da crise!) ter a exclusividade? E que notícias mandaram, que notícias!

Já não estão na Alemanha, zangaram-se com a Merkel , dizem que lhes aumentou os impostos das viaturas, que lhes tirou o ganha pão - não faço ideia do que tenha sido! - que as obrigou a recauchutar as viaturas, enfim, uma série de exigências que as obrigaram a zarpar.

Para onde foram? Ah, isso não posso dizer, pediram sigilo absoluto.
Só lhe posso dizer que voltam, portanto...
... prepare-se!

Olhe, um abracito , é o melhor que se pode arranjar.


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Dezembro 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


.posts recentes

. Aleluia!

. Dignidade

. Balanço

. Outros Natais...

. A dúvida

. Promessas...

. Pulítica

. O não post...

. Quem sai aos seus ...

. Férias/Feiras

.arquivos

. Dezembro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

.Contador de visitas

Criar pagina
Criar pagina
blogs SAPO

.subscrever feeds