Quinta-feira, 28 de Março de 2013

Feira da Ladra

Ando há anos para ir à Feira da Ladra, mas por isto ou por aquilo, sendo que “isto” a ver com um certo comodismo, o tempo tem passado e eu sem ir.

É certo que nada de especial me leva lá a não ser a curiosidade de a comparar com o que a feira era há uns anos atrás. Não pretendo comprar nenhuma “pechincha”, aliás dou-me mal com este tipo de compras e também não pretendo vender nada (meu peixe vendo-o aqui).

Outrora o que me levava lá era ver e ouvir os vendedores de banha de cobra. Bons tempos em que honestos vendedores nos vendiam produtos que curavam tudo (“ dois limpam o sangue, cinco curam o “câncaro…”).

Hoje vendem-nos gato por lebre, os vendedores perderam a vergonha e os compradores não são melhores.

Hoje, em que milhares de petições correm na net para isto e para aquilo, pró e contra, a insultar e a elogiar, pergunto-me se eu não deveria também lançar uma petição para aparecerem nas televisões aqueles meu “velhos amigos” da banha de cobra (quando era jaquinzinho cheguei a colaborar acidentalmente com um deles que me “obrigou” a segurar uma caixa onde estaria o “bicho” com que chamava a atenção das pessoas, embora a caixa estivesse vazia, coisa que só ele e eu sabíamos).

Substituir todos os atuais “vendedores” (entre aspas porque são fracos profissionais) de políticas e futebóis, que enjoam, enojam e me dão volta ao delicado estômago, por autênticos vendedores de banha de cobra, devia ser um projeto nacional.

“ Não estou aqui para enganar ninguém” era uma frase batida por esses homens de linguarejar simples, mas franco e aberto (“e aquele senhor que está ali a abanar a cabeça é a prova do que eu digo, veio cá hoje para levar mais umas embalagens”).

Hoje não há quem tenha coragem para dizer que não está para enganar ninguém, quando anda meio mundo a enganar o outro meio (que, permitam-me a franqueza, está mesmo a pedir para ser enganado).

Um dia no Porto (e já me estou a afastar da Feira da Ladra umas centenas de quilómetros) estive a ouvir um desses magos que vendem milagres e que se dirigia à assistência com uma linguagem mais elaborada e que chamava às pílulas de quinino de “anjos brancos e puros que têm salvado inúmeras vidas”. Isto para as comparar com o produto que vendia (“eu não venho aqui para vender nada, cada embalagem na farmácia custa 10, aqui não custa nem 10, nem 7, nem 5. Apenas por 4 moedas podem levar para casa não uma mas 3 embalagens”).

Desapareceram estes “homens bons” que eram a base do serviço nacional de saúde de então e apareceram os outros para nos tratar da saúde…

Dos outros eu era assíduo ouvinte e espectador, destes “passem bem” que tenho mais que fazer. Com uma agravante: é que mesmo sem os “consumir” tenho de lhes pagar.

 

Dizem-me que na Feira da Ladra já não há vendedores de banha de cobra…

 

BOA PÁSCOA!

 

PS: Li, há dois ou três dias, que a imprensa espanhola publicou com espanto a notícia da contratação de Sócrates (o “filósofo português, não o grego) para comentador duma televisão em Portugal. “Com espanto”, pois era absolutamente impensável que um ex-primeiro ministro espanhol pudesse passar a ser comentador político.

Pois!

Mas Espanha e espanhóis, por muito que lhes chamemos “nuestros hermanos” são outra realidade, onde ainda há um sentido de honra e dignidade que nunca houve cá desta banda da fronteira.

Depois…não têm uma Feira da Ladra como nós temos…

 

Texto escrito conforme o Acordo Ortográfico - convertido pelo Lince.        

publicado por Carapaucarapau às 14:31
link do post | comentar | favorito
|
8 comentários:
De Maria Araújo a 28 de Março de 2013 às 18:41
Belos tempos o desses senhores que me faziam rir com o seu "quase cantar" na venda do seu produto.
Quanto ao teu P.S.: é uma vergonha para este país de parolos.
Beijinho


De Carapau a 1 de Abril de 2013 às 17:46
Uma vez, no Porto tive uma aula sobre a Igreja dos Clérigos com visita á mesma. Antes de entrarmos, estivemos nas traseiras e aí o Prof. perorou sobre a arquitectura da dita cuja. Era um grupo dumas 30 pessoas que foi engrossando com os passantes que se chegavam para ver o que "estava" a acontecer.
Às tantas já eramos uma "multidão". Nessa altura chegou-se a nós um polícia que se dirigiu ao Prof. e lhe disse:" Não pode fazer propaganda aqui. O lugar para isso é ali mais atrás" - e apontou o local onde habitualmente estavam os "vendedores de banha de cobra".
Espero que tenhas comido muitas amêndoas...
Bjo.


De maria teresa a 31 de Março de 2013 às 17:15
Fui, num passado muito longínquo, umas 2 vezes até lá! O meu filho quando era adolescente frequentava-a aos sábados, ia vender coisas velhas que levava a semana a recolher junto da família (um "chato"). Depois vinha com coisas lá compradas, como uma máscara usada na 2ª guerra mundial, uma pasta de correio do tempo dessa guerra que lhe servia de pasta para a escola, discos,...enfim uma enormidade de objetos que ele considerava interessantíssimos e que ainda os tem.
Quanto à "banha da cobra" assisti em várias feiras espalhadas pelo país. Aos fins de semana com os meus pais e com o meu irmão, visitávamos localidades das quais já nem me "alembro"...íamos de moto no sidecar, éramos pequenotes, eu tinha menos de 12 anos (foi por volta desta minha idade que o meu pai deixou de andar de mota). Do que me lembro bem é de uma frase que o meu pai dizia repetidamente, quando esses vendedores gritavam: "eu não estou aqui para enganar ninguém!", o meu pai dizia-nos :"está aqui para enganar todos!"

Bebi vinho tinto ao almoço, apenas um copinho, mas estou cá com uma cobra, se faz favor ...
Uma beijoca bem sonora num dos opérculos!


De Carapau a 1 de Abril de 2013 às 17:52
Não estava nada a ver o filme de tu "a caires" com um copito de tinto.
Pelos vistos, com um copo de tinto e com um microfone na mão, sempre enrolado num lenço (não sei se tens presente a cena) eras bem capaz de vender este mundo e o outro, já não digo a Torre dos Clérigos referida na minha resposta ao comentário anterior (só porque está longe) mas talbez o Mosteiro dos Jerónimos ou a Torre de Belém!
O que um copo de tinto pode fazer a uma senhora...
:))
Um beijo no que em ti corresponde a um opérculo.


De Labirinto de Emoções a 31 de Março de 2013 às 20:37
Feira da Ladra, do que tu te foste lembrar...morei tão pertinho dela, às vezes ao sabado de manhã ia lá dar uma voltinha e divertia-me com todos aqueles pregões...e sabes que mais, são tão inofensivos ao pé dos Pregoeiros que pululam impunemente e nos entram pela casa dentro mal ligamos a tv ou a radio...
Enfim... modernices...:-))))
Beijinhos doces ou não estejamos nós na Pascoa...:-P


De Carapau a 1 de Abril de 2013 às 18:00
"Inofensivos"? Eram uma instituição nacional, um verdadeiro serviço nacional de saúde, que funcionava ao ar livre onde houvesse feiras ou mercados.
Eu era um fã apaixonado, durante anos não perdia um espectáculo destes e assisti a alguns de muito nivel (ou "anible" como se dizia então).
Agora o "anible" baixou, qualquer um se arma em vendedor de peixe, daquele que já congelou e descongelou uma dúzia de vezes e que faz mal à saúde.
Bjo.


De Rafeira a 3 de Abril de 2013 às 14:02
Ainda bem que és Carapau e não tens cloaca como a dos nossos ilustres que quando a abrem só sai "esterco" (achei a palavra correcta pesada para a escrever aqui). Os de antigamente ainda tinham umas loções, ou pomadinhas, para nos aliviar ou simplesmente o delicioso palavreado que usavam, estes abrem-na para nos alimentar os pesadelos.
Um bj e as desculpas pelas ausências


De Carapau a 4 de Abril de 2013 às 11:17
Desculpas aceites, ainda que não haja lugar ao pedido. Sobretudo se a ausência for por motivos de força maior, como por exemplo, estar a dar banho à criança, em Paris.
Merci bien.
Bjo.


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Dezembro 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


.posts recentes

. Aleluia!

. Dignidade

. Balanço

. Outros Natais...

. A dúvida

. Promessas...

. Pulítica

. O não post...

. Quem sai aos seus ...

. Férias/Feiras

.arquivos

. Dezembro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

.Contador de visitas

Criar pagina
Criar pagina
blogs SAPO

.subscrever feeds